Itanhaem 2017 muito mais que noticias.

Imóveis de alto padrão elevam média de preço em Bertioga

Por: Litoral 24 horas 15/05/2017 13:21

Imóveis de alto padrão elevam média de preço em Bertioga

A Riviera de São Lourenço, em Bertioga, hoje o bairro mais caro da Baixada Santista, deixou de ser uma espécie de ilha do alto padrão e já puxa a valorização de bairros na cidade. Pesquisas recentes mostram que o preço médio do metro quadrado de Bertioga já empata com o de Santos. Levantamentos realizados pelo Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Crecisp) e Fipe/Revista Exame apontam altos preços disseminados por Bertioga. 

De acordo com a Fipe/Exame, Santos tem preço médio por metro quadrado de R$ 5.177. Em Bertioga, o valor é quase o mesmo – R$ 5.146. Para efeito de comparação, as outras cidades da região ficam bem atrás: Guarujá (R$ 4.646), São Vicente (R$ 4.203), Cubatão (R$ 3.980), Praia Grande (R$ 3.740), Itanhaém (R$ 3.369), Mongaguá (R$ 3.280) e Peruíbe (R$ 3.122). 

Na mesma pesquisa, a Riviera é disparado o bairro mais caro da Baixada e do Litoral (só Tabatinga, de Caraguatatuba, se aproxima dela), com média de R$ 11.400-R$ 11.500 o m². Em Santos, os mais caros estão no Gonzaga, Pompeia e Ponta da Praia, na faixa de R$ 5.600 a R$ 6.100 o m²/médio.

Outras áreas valorizadas de Bertioga já são mais caras que o top de Santos. Enseada e Vila Agaó custam entre R$ 7 mil e R$ 7.400 o m² e Centro, Jardim Lido, Jardim Rio da Praia e Morada da Praia variam de R$ 6.100 a R$ 6.700. 

A pesquisa mensal do Creci também aponta a força altista de Bertioga. Entre as vendas de casas apuradas em fevereiro, a área nobre de Bertioga registra um valor médio de R$ 11.960 o m² de casas de cinco quartos, o dobro do registrado em Peruíbe e quatro vezes o de Praia Grande.

Na Riviera de São Lourenço, edifícios modernos e tranquilidade na praia atraem turistas (Foto: Rogério Soares)

Considerando-se apartamentos, Santos aparece em primeiro com R$ 8 mil o m² vendido na área nobre, mas Guarujá e Bertioga estão coladas, respectivamente, com R$ 7.646 e R$ 7.467. Mas se observadas as áreas mais em conta das cidades, chamadas de Centro e Demais Regiões, Bertioga tem médias mais caras que Santos. Em Bertioga, o m² para dois quartos variou de R$ 3.600 a R$ 4.753, frente a R$ 2.333 a R$ 4.558 em Santos.

Ainda nas áreas Centro e Demais Regiões, no caso de três dormitórios, Bertioga aparece com a média de R$ 4.712 e Santos, com R$ 3.409.

Em valores absolutos, a pesquisa do Creci registra R$ 3,05 milhões para uma casa de três quartos em Bertioga. A que mais se aproxima é Peruíbe, com R$ 1,15 milhão e Praia Grande com R$ 1 milhão.

Para apartamentos em médias absolutas, há um registro na área nobre de Guarujá de R$ 1,13 milhão, de Santos de R$ 720 mil e em Bertioga de R$ 575 mil. No critério Centro e Demais Regiões, para dois quartos Bertioga supera Santos (R$ 540 mil contra R$ 500 mil). Com três quartos, Santos lidera frente a Bertioga (R$ 600 mil contra R$ 410 mil).

Deve-se considerar que Santos tem um mercado de casas bem menor devido à falta de espaço e que os preços médios dos bairros (Pompeia, Gonzaga e Ponta da Praia) consideram imóveis de padrões diversificados (de quitinetes e imóveis antigos a apartamentos de luxo). Na orla, há vários imóveis com m² acima de R$ 10 mil, lembrando que, devido à crise, acabam caindo pela força da negociação em tempos difíceis.

Entenda a Riviera

A Riviera de São Lourenço é um empreendimento da incorporadora Sobloco lançado em 1979. Ela fica no Km 212 da Rio-Santos e ocupa 8,8 milhões de metros quadrados (8,8 Km², o equivalente a 1,8% da extensão territorial de Bertioga ou um quinto da área insular de Santos). 

A Riviera é um bairro aberto e a 120 km da Capital. Conforme o site do empreendimento, ele está 60% ocupado e tem 11 mil unidades habitacionais, além de shopping center, outros comércios, serviços de saúde, complexos esportivos e hotéis. De acordo com o site, a Riviera é 100% planejada e responsável por mais de 50% da arrecadação da Prefeitura em IPTU e ITBI.