Itanhaem 2017 muito mais que noticias.

Alunos de escola municipal de PG ainda não receberam uniforme e kit escolar

Por: Litoral 24 horas 20/04/2017 06:00

Alunos de escola municipal de PG ainda não receberam uniforme e kit escolar

O mês de maio está prestes a começar e parte dos alunos das unidades municipais de ensino de Praia Grande ainda aguarda, desde o início do ano letivo, pelos uniformes e materiais para uso em sala de aula que deveriam ser fornecidos pela Prefeitura.

A mãe de um aluno da 3ª série da EMEF Carlos Roberto Dias, no Boqueirão, afirma que o filho, de 8 anos, está sem receber o uniforme desde o ano passado. As peças que a criança recebeu em 2015, quando estava na 1ª série, já não servem mais. 

"Outros alunos da classe estão usando os uniformes antigos, mas o meu filho não consegue porque ele cresceu demais e tudo ficou pequeno", afirma a cabeleireira Vera Lúcia da Silva. 

Vera conta ainda que a falta de uniforme prejudica a criança, que não consegue participar das atividades que ocorrem fora da sala de aula. "Quando tem passeio exigem o uso do uniforme e ele não vai, porque não tem". 

O kit escolar normalmente entregue pela Secretaria de Educação no início do ano letivo, em fevereiro, também não foi repassado aos alunos. " No ano passado ele recebeu o material. Neste ano, ainda não. Já comprei caderno e alguns que ainda tinham folha reutilizei. Comprei ainda lápis, borracha, apontador e régua... Coisas que não dá para ele ficar sem. Mas já estamos quase em maio e nada ainda, ninguém (nenhum dos alunos da escola) recebeu", reclama.

Resposta

Em nota, a Secretaria de Educação (Seduc) informa que a distribuição dos uniformes escolares, para mais de 37 mil alunos das 73 escolas da rede municipal de ensino, começou na última segunda-feira (17). "A empresa vencedora do processo licitatório tem o prazo de 15 dias para entregar os kits que contêm duas camisetas meia manga, uma camiseta regata, uma bermuda ou shorts/saia e agasalho (jaqueta e calça)".

A pasta afirma que "o atraso na entrega dos uniformes ocorreu por conta de intercorrências que fizeram com que a finalização do procedimento licitatório tivesse de ser postergado". Entre elas, "a desclassificação da empresa vencedora devido à qualidade do uniforme apresentado e suspensão temporária, por parte do Tribunal de Contas do Estado do Estado de São Paulo (TCESP), para análise do edital antes do pregão e interposição de empresas contrariando o resultado final".