Itanhaem 2017 muito mais que noticias.

Jovem vira fenômeno do 'Wheeling' após morte de irmão e está no mundial

Por: Litoral 24 horas 30/09/2015 14:56

Jovem vira fenômeno do 'Wheeling' após morte de irmão e está no mundial

Uma moradora de Itanhaém, no litoral de São Paulo, virou, 'sem querer', um dos principais nomes do 'Wheeling' brasileiro, um esporte radical de acobracias com motos que exige equílibrio e força dos pilotos. Sthefany Fontegno, de 17 anos, começou a praticar o esporte sem compromisso, após a morte do irmão, que também era piloto, e se apaixonou pela modalidade.

Sthefany nunca tinha praticado a modalidade, até o irmão mais velho, Fernando Dapaz, morrer em um acidente automobilístico. “Eu e o meu irmão sempre fomos muito ligados. Foi um período difícil. Depositei toda a minha dor em aprender o esporte que ele era apaixonado”, conta.

Há quatro anos, Sthefany foi para a sua primeira competição, que era disputada apenas por homens. “Eu tinha 13 anos. No começo foi difícil para lidar com as manobras, pegar o jeito, mas eu tive apoio dos amigos e pilotos masculinos. Eles me aceitaram muito bem no meio e hoje na maioria dos eventos que eu vou só tem eu de mulher. Eles, me tratam e sempre me apóiam”, explica.

Aos 16 anos, em 2014, Sthefany tornou-se campeã brasileira de wheeling na categoria SuperAção Máxima Feminina. Já em 2015, a atleta participou de duas etapas do Campeonato Brasileiro e terminou ambas na liderança. “Mesmo quando competia com outros homens era muito bem recebida. As pessoas ficavam surpreendidas por eu ser menina e também muito nova”, ressalta.

Com o bom desempenho, Sthefany garantiu, pela primeira vez, uma vaga no Campeonato Mundial, que acontecerá em 2016. "O mais difícil não é saber que vou participar do mundial. Tenho problemas para treinar em Itanhaém por causa da distância. Moro em Praia Grande e preciso viajar todos os dias. Ultimamente tenho treinado no estacionamento do estádio do Corinthians porque na Baixada está bem difícil o espaço para treino”, comenta.

O Wheeling é um esporte que surgiu na década de 1970, na Califórnia, e desenvolve a técnica de empinar a motocicleta e controlá-la pelos freios traseiros. Apesar de ser um esporte mais praticado por homens, hoje as mulheres também conquistam um espaço. “As pessoas passaram a me reconhecer como praticante do esporte e isso é ótimo. As pessoas passam a saber que vivemos a nossa vida para o esporte, principalmente nós, que fazemos diversas ações sociais”, finaliza.