Itanhaem 2017 muito mais que noticias.

Casal suspeito de furtar apartamento de luxo em SP é preso em Bertioga

Por: Litoral 24 horas 13/08/2015 14:16

Casal suspeito de furtar apartamento de luxo em SP é preso em Bertioga

Um casal suspeito de furtar apartamentos de luxo foi preso na noite desta terça-feira (11), após terem invadido um apartamento na Riviera de São Lourenço, em Bertioga, no litoral de São Paulo. Felipe Fabio da Silva, de 20 anos e a vendedora, Edlla Fernanda Almeida dos Santos de 23 anos, entraram no prédio após enganar o porteiro.

A dupla disse para o porteiro que iria visitar o apartamento de um conhecido. Depois de conseguir acesso ao condominio eles acessaram a maior parte dos andares, e após ter a certeza que não havia ninguém no local, arrombaram a porta de dois apartamentos dos mesmo andar a procura de dinheiro e jóias.
 

Segundo informações da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos, também na Baixada Santista, os criminosos não conseguiram roubar nada do local e com receio de serem barrados na saída, eles furtaram uma faca para assustar quem tentasse impedir a fuga. Poucas quadras depois, Felipe e Edla foram abordados pela segurança do local e policiais civis. Os oficiais levantaram os dados e descobriram que os suspeitos são responsáveis por outros furtos em condomínios na cidade de Santos e na capital paulista.

No dia 24 de julho o casal foi acusado de furtar um apartamento no bairro da Aparecida, em Santos e algumas ações foram registradas por imagens da câmera de monitoramento do condomínio.

Nas imagens, o casal entra no prédio e aciona o elevador do local. O porteiro tenta chamá-los, mas eles ignoram e seguem em frente. Nas imagens, é possível ver que a mulher escolhe uma andar aleatório.

Ela abre a porta do elevador, ouve vozes e retorna antes de ambos terem prosseguido até o terceiro andar, onde entram e permanecem por cerca de 20 minutos. Ao voltar para o elevador é possível perceber que a mulher carrega uma bolsa com vários pertences. Logo depois, eles retornam ao hall de entrada e conseguem sair do prédio. O porteiro, que trabalhava no condomínio há poucos meses, foi ouvido pelo delegado responsável e não possui nenhum envolvimento com os criminosos.